BMW testa iX5 a hidrogénio sob o frio do Ártico e produção avança ainda este ano!

BMW testa iX5 a hidrogénio sob o frio do Ártico e produção avança ainda este ano!

Mesmo com a forte aposta na eletrificação, a BMW não desiste do hidrogénio e está a levar alguns escolhidos para testes de desenvolvimento no norte da Suécia. Desta vez, foi o iX5 Hydrogen, cuja entrada em produção deverá acontecer ainda este ano.

Segundo a BMW, é necessário testes de Inverno para perceber se o veículo mesmo a temperaturas negativas de até -20 graus centígrados, o "sistema de acionamento da célula de combustível de hidrogénio exibe a mesma usabilidade diária de um motor de combustão interna convencional".

Ao contrário do que acontece com os veículos elétricos a bateria, a autonomia do modelo a hidrogénio não foi afetado pelo clima frio e até mesmo o abastecimento dos tanques, não demorou mais do que três a quatro minutos. Segundo o presidente da BMW, uma das principais vantagens da célula de combustível a hidrónio está na "mobilidade livre de emissões de um veículo elétrico e a usabilidade diária irrestrita - incluindo paradas curtas de reabastecimento - familiar de modelos com motor de combustão interna.

O iX5 conta com dois tanques de armazenamento de hidrogénio reforçados com fibra de carbono, os quais alimentam uma célula de combustível que converte o gás em eletricidade. A qual, por sua vez, é utilizada para fazer funcionar um motor elétrico, montado sobre o eixo traseiro, a debitar 374cv de potência. Tudo isto, com o veículo a emitir para a atmosfera vapor de água, sendo que, o calor residual é aproveitado para aquecer o habitáculo.

A BMW já decidiu avançar com a produção deste veículo ainda durante este ano, mas apenas em pequenas séries. Isto, porque a marca sabe que a infraestrutura de reabastecimento de hidrogénio continua sendo a maior limitação à disseminação da tecnologia.