Audi A5 Sportback 2.0 TDI – Ensaio

Audi A5 Sportback 2.0 TDI – Ensaio

Um texto do José Luís Abreu para o AutoSport a falar do Audi A5 Sportback 2.0 TDI. Acompanhe a seguir a opinião dele acerca do veículo.

Numa era em que as berlinas mais clássicas e os coupé tradicionais vão perdendo o seu espaço face a uma enorme panóplia de carros constantemente lançados pelas marcas, a Audi pensou diferente e apostou num caminho nesse sentido, indo buscar o melhor que podia de um desportivo e o que de melhor uma berlina tem para oferecer, ‘et voilá’, nasceu o A5 Sportback. Se calhar alguns leitores estão agora a pensar que o Audi A4 não perde em nada para este A5 e custa menos 3.000 €. É verdade, mas não é a mesma coisa. Este A5 Sportback é bem mais imponente e, pessoalmente, acho-o mais bonito. E sendo também um grande apreciador do Série 4 GranCoupé da BMW, teria que pensar mesmo muito sobre qual preferiria. E olhem que a escolha não seria fácil. Este A5 Sportback é muito elegante, tem algo de diferente que lhe dá um ar mais forte. Provavelmente só terá a ‘mais’ a imagem face a outros modelos “ali à volta”, mas se calhar é o que basta e foi mesmo essa a intenção. É uma clara evolução do conceito original. E ‘aquele’ habitáculo da Audi é uma ‘coisa’. É simples e ao mesmo tempo consegue ter um classe tremenda. No fundo, funcional e requintado. Parece-me claro que é um automóvel para quem quer algo com um ‘sabor’ desportivo, com bom comportamento dinâmico, sem perder as vantagens duma carroçaria de cinco portas.

Sete anos depois, muita coisa mudou no novo A5 Sportback e esta nova geração tem 4.733 mm de comprimento, 2.824 mm de distância entre eixos, 1.843 mm de largura e 1.386 mm de altura. O peso total diminuiu até 85 kg, dependendo da versão/motorização do carro, e pesa agora 1.470 kg (novamente consoante a motorização).

Logicamente, o design foi muito revisto, os designers da Audi transmitiram ao novo A5 Sportback um visual mais moderno, com formas afiladas, mantendo o longo capot do motor. A grelha Singleframe é significativamente mais plana e ampla do que na geração anterior deste modelo de cinco portas. Mas acima de tudo, manteve e reforçou o ADN original com o seu caráter desportivo e elegante, algo que se nota, por exemplo na linha de ombros em forma de onda, agora tridimensional, que já existia no modelo anterior. A seção traseira exibe um estilo horizontal e a extremidade da grande porta da bagageira termina com um característico spoiler.

Habitáculo de luxo

O habitáculo dos Audi é globalmente uma ode ao fazer bem e, como se pode calcular, este A5 Sportback não é diferente. Os materiais são do melhor que há – bem podemos procurar por falhas na montagem, que provavelmente vamos perder tempo – a vida a bordo é mesmo muito boa, na verdade, mais à frente do que atrás. Os acabamentos são absolutamente impecáveis, não é fácil encontrar algo que se mudaria. Para além disso, o ‘tablet’ tem o tamanho e posição certas; o Virtual Cockpit configurável tem boa e rápida leitura; o Head up Display, toda a informação está bem presente e a toda ela se acede com facilidade.

A tecnologia informática é cada vez maior e tem cada vez mais importância num automóvel, e precisa-se logicamente de alguns minutos para perceber onde está tudo, mas a partir daí é intuitivo, nada estorva nem interfere na condução. E como seria de esperar, a posição de condução encontra-se facilmente e a tudo chegamos com a maior das facilidades. Os bancos da frente são realmente confortáveis, envolventes q.b., e neles podemos fazer muitos quilómetros, pois não serão certamente ‘eles’ a contribuir para o cansaço.

Depois há pormenores que podem parecer não ter importância, mas têm, por exemplo, a tecnologia LED no interior, que ‘ilumina’ uma simples ranhura USB, facilitando a vida para quem a procura. Segundo a Audi, a iluminação ambiente em LED (de série) destaca uma escolha de 30 tons reguláveis para o interior e para além disso o novo A5 Sportback também foi repensado em termos acústicos, segundo a Audi, quase ao nível de um modelo da classe de luxo.

De resto, a vida a bordo é muito boa, espaço não falta, embora o carro seja baixo. Os quatro lugares da extremidades são, tendo em conta o tamanho do carro, bons, mas convém lembrar que este carro tem todo o estilo coupé e que para se chegar a essas linhas fantásticas há sempre que fazer cedências ao conforto das pessoas que ocupam os lugares traseiros e isso neste A5 Sportback não é exceção. Não será um carro para levar amigos jogadores de basquetebol atrás. De qualquer forma só mesmo o quinto lugar, o central traseiro, é mais incómodo, mas nada de muito especial. O carro é perfeito para quatro pessoas, com a quinta não convém grandes viagens. A bagageira é enorme, tem 480 litros, mas este não é um carro dos mais versáteis. A Audi também oferece esta variante de cinco portas com controlo elétrico por movimento (de série) para abrir a tampa do compartimento de bagagem através de um movimento do pé. De série, o banco traseiro é rebatível. Totalmente rebatidos permitem que a capacidade da bagageira ascenda até 1.300 litros.

Diz a ficha técnica que o habitáculo ganhou 17 mm de comprimento e a quota ao nível dos cotovelos para o condutor e passageiro dianteiro aumentou 9 mm, enquanto o espaço para as pernas atrás também teve um significativo incremento de 24 mm face ao modelo anterior.

Como opção a Audi oferece ainda bancos com massagem pneumática e ventilação, o ar condicionado automático tem 3 zonas e também como opcional há ainda a possibilidade de ter um teto de abrir solar panorâmico em vidro para uma maior luminosidade do interior.

Boa tecnologia

O Infotainment deste A5 sportback é assegurado pelo Audi Connect, cujo novo sistema permite muitas funções online para o veículo. Com um armazenamento até 10 Gb, o ecrã do sistema de navegação possui 8,3 polegadas e uma resolução de 1.024 x 480 pixels. O sistema de navegação Audi MMI plus trabalha em cooperação com muitos dos sistemas de assistência à condução e de segurança.

A gama de serviços do Audi Connect é diversificada, desde navegação com o Google Earth e o Google Street View para informações de viagem, informações de trânsito online, a procura de um espaço de estacionamento ou mesmo a rede social Twitter, por exemplo.

O sistema inclui funções remotas. Por exemplo, o cliente pode utilizar a app Audi MMI connect para aceder remotamente ao status do veículo e localizar o veículo com Car Finder, bem como para trancar o carro. O pacote também inclui as novas funções de chamada de emergência, assistência online na estrada e solicitar um pedido de serviço Audi. Estes serviços estão disponíveis por um período de dez anos.

O app gratuito Audi MMI connect para smartphones e smartwatches acrescenta serviços adicionais a bordo e oferece uma ampla gama de possibilidades. Por exemplo, o smartphone transfere o calendário de compromissos do condutor para o MMI. O sistema lê o local, o horário e a finalidade de uma consulta. E o condutor pode transferir o local de uma reunião diretamente de seu smartphone para o MMI como um destino de navegação.

O sistema também permite a ligação individual à internet através do Wi-Fi hotspot. A app Audi MMI connect permite que outros serviços, tais como streaming de média online e a transferência de um calendário a partir de um smartphone para o MMI. O Audi smartphone interface através do Apple CarPlay e do Android Auto – o ambiente familiar smartphone que está sempre a bordo do novo Audi A5 Sportback, se desejado. O conteúdo do smartphone, como navegação, telefonia, música e outros aplicativos selecionados, surgem num ambiente semelhante ao de um smartphone, numa janela do MMI separada.

A Audi phone box posicionada no apoio de braços central permite a ligação sem fios de smartphones à antena do veículo e permite o carregamento da bateria por indução. O Audi tablet serve como um dispositivo de entretenimento do banco traseiro, podendo ser utilizado dentro e fora do carro.

O som não foi deixado ao acaso, e este carro tem um sistema de som Bang & Olufsen, para os mais exigentes fãs de sistemas de som de alta-fidelidade, mas esta é uma opção.

Quanto aos sistemas de assistência à condução, em comparação com o modelo anterior, quase todos os sistemas são completamente novos ou foram profundamente atualizados. Os recém-desenvolvidos Audi active lane assist e o Audi pre sense à frente, incluindo a proteção dos peões ativa, tornam a condução em zonas urbanas e em estrada ainda mais segura. Por sua vez, o assistente de trânsito (com atuação até aos 65 km/h), que trabalha em conjunto com o Audi adaptive cruise control (ACC) inclui a função Stop&Go. Novidade importante em termos de segurança: Assistente de saída de estacionamento, Assistente anticolisão s e Assistente de viragem. Uma câmara reconhece os sinais de trânsito. A Audi oferece ainda outro inovador em termos de segurança. O novo A5 Sportback está equipado (de série) com o sistema pre sense city que monitoriza a estrada até uma velocidade de 85 km/h e inicia uma travagem máxima em caso de emergência.

Motor quanto baste

O motor disponível é o 2.0 TDI com 190 cv, e se pensarmos num carro deste porte isso não impressiona, mas se pensarmos que este A5 sportback sofreu uma cura generosa de emagrecimento, concluímos que é uma motorização perfeitamente adequada ao carro. Com ele conseguimos realizar 7,9 segundos dos 0-100 km/h para uma velocidade máxima de 235 Km/h. A marca anuncia um consumo urbano de 5,2 l/100 km, extra urbano de 3,8 e médio de 4,4. Nós medimos 5,7l/100 Km. Segundo a marca, em comparação com o modelo anterior, este novo motor oferece um desempenho até 17 por cento superior, enquanto o consumo de combustível foi reduzido até 22 por cento. Esta versão tem uma caixa de dupla embraiagem S tronic de sete velocidades.

Este Audi A5 Sportback é essencialmente um estradista, rápido, ágil, confortável, a insonorização é muito boa, rodei em auto estrada num dia de algum vento e confirmei o silêncio que se vive a bordo, apesar de se notar bem o peso do carro os 190 cv são mais do que suficientes para um condução fluida e rápida em auto estrada. Mesmo em zonas mais lentas, os  400 Nm do binário que estão disponíveis muito cedo, às 1.750 rpm, permitem que o carro tenha sempre força, mas as cinco dezenas de quilómetros que tive de fazer em estradas mais estreitas e sinuosas também mostraram que não ali ali que o A5 sportback se sente bem. Não tenho dúvidas, que com um A3 seria bem mais indicado para aquela zona particular, mas as coisas são como são, não há um carro que seja o melhor em todos os tipos de percursos que se encontram.

Outro pormenor, e isso pode ter a ver com o peso, são as recuperações em auto estrada, mas se calhar também já é ser muito esquisito, pois os 190 cv chegam bem para 99,99% das situações. Se me disserem que um 2.0 TFSI de 252 cv dá outro prazer de condução acredito que plenamente sim, mas extrai-se prazer de condução deste A5 Sportback. Não há  grande rolamento da carroçaria nas curvas rápidas de apoio, a direção é precisa, informativa e leve q.b., mas se nos excedermos um pouco a frente fica com “vontade de encostar à berma do lado direito”, leia-se, de subvirar. A caixa de sete velocidades automática relaciona-se bem com o motor, e nem sequer é preciso aliviar muito o pé para o sitema perceber que queremos uma mudança abaixo no modo totalmente automático.

Portanto, não há nada de mau a dizer do comportamento dinâmico deste Audi, sendo que o Audi Drive Select tem cinco modos de condução, normal, conforto, eficiência, dinâmica e individual.

As vias largas e a longa distância entre eixos são elementos chave para um bom conforto e esta suspensão é equilibrada. O eixo dianteiro é equipado com uma suspensão redesenhada de cinco braços. Atrás, a geometria de cinco braços substituiu a construção com braços trapezoidais aplicados na anterior geração e, é 5 kg mais leve devido à aplicação de vários materiais. O controlo de amortecimento, disponível como opção, varia com o modo selecionado do Audi drive select, de série.

 

Texto: José Luís Abreu (autosport@autosport.pt)